18.1.10

A Vaga de Vampiros Vampirescos

Nunca li nenhum dos livros da série Twilight , nem tenho o mínimo interesse em ler, e o senhor Robert Pattinson que faz de Edward, enerva-me com a sua brancura e a sua cara de "Preciso de ir fazer cócó, mas agora não me dá jeito".

Mas a verdade é que também já aderi a esta moda dos vampiros. Fui assim como quem não quer a coisa, ver o série True Blood para ver se era alguma coisa de jeito ou não. E fiquei fã!
Apesar de ser criada por Alan Ball ( produtor e escritor de Six Feet Hunder), a verdade é que a história na primeira temporada é muito rebuscada, tudo acontece muito depressa, sempre com muito sexo e drogas à mistura. Parece que foi escrita debaixo da nuvem cinzenta do "ai.. será que vai haver outra temporada?Então 'bora lá resolver isto tudo em 10 episódios". A história não flui numa continuidade natural, é tudo muito à pressa. Mas tirando este pequeno problema, parece-me ser uma série interessante, que ultrapassa os romances melo-dramáticos para trintonas e quarentonas solteiras. E a segunda temporada já me parece haver uma calma no turbilhão de acontecimentos e revelações.

Posto isto, ando a ouvir em loop a música do genérico, que na minha opinião é simplesmente genial. Uma música com um toque sensual (e maroto), que lembra as músicas do Chris Isaak.



1 comentário:

Th disse...

Também acho que a música do genérico foi tremendamente bem escolhida. :)
Gostei bastante da primeira tamporada mas os dois primeiros episódios da segunda temporada não foram suficientes para me convencer a continuar a acompanhar a série. Pode ser que noutra altura a retome.